. - Imesc inicia atendimento pericial em pessoas com deficiência no ingresso ao mercado de trabalho

A primeira pessoa diagnosticada pelos peritos do Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo, com deficiência, indicada pela Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência, por meio do Programa Meu Emprego Inclusivo, do Estado de São Paulo para ser avaliada se tem condições clínica e funcional para ingressar no mercado de trabalho foi atendida na última segunda-feira, pelo Dr. Felipe Salles, psiquiatra e diretor do Centro de Perícias do Instituto e pela assistente social do Imesc, Vera Lúcia Sant Anna Martins.

A candidata a uma vaga PCD, de 41 anos, desempregada há quatro anos (individuo com esquizofrenia) idealiza voltar ao mercado de trabalho na área administrativa o mais rápido possível e enxerga esta ação com muita positividade. "É muito importante esta ação porque ela coloca as pessoas com deficiência num patamar igualitário. Quando a gente entende o nosso problema fica mais fácil de tratar e viver em sociedade", relatou D.A.P., que teve apenas as iniciais divulgadas para não ser exposta.

O convênio entre o Imesc e a SDE, avalia se a pessoa com deficiência tem condições clínica e funcional para ingressar no mercado de trabalho e prevê a realização de 300 laudos médicos periciais de capacidade profissional. O acordo é para perícias nas modalidades de clínico geral, neurologia, oftalmologia, ortopedia e traumatologia. Os indicados também serão submetidos às perícias de psiquiatria, além de especialidades de abrangência não médica como assistência social, psicologia e fonoaudiologia.

Para o Dr. Felipe Salles, a atuação do Imesc é um passo importante para essas pessoas alcançarem seus objetivos profissionais. "O Imesc realiza uma importante etapa do processo de inclusão profissional das pessoas deficiência quando produz o laudo médico, que é exigido pela lei de cotas, uma vez que em sua ausência, se torna uma barreira para o acesso ao emprego dessas pessoas. Nosso laudo, pioneiro no país, segue todos os parâmetros exigidos por lei e inclui ainda avaliação das funcionalidades e potencialidades dos candidatos com utilização de padrões internacionais", ressaltou.

Todo o processo pericial do Imesc segue a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), da Organização Mundial de Saúde (OMS), e também da Classificação Internacional de Doenças (CID), exigidos pelo programa Meu Emprego Inclusivo do Estado.

As perícias serão realizadas pelo Imesc quando requisitadas pelos Postos de Atendimento ao Trabalhador (PAT), subordinados a Coordenadoria de Operações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, a quem caberá acompanhar e controlar o número de perícias realizadas. Além disso, os Polos de Empregabilidade Inclusiva (PEIs), da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência também farão as requisições para realização do Laudo Médico ao Imesc, já iniciadas desde o dia 7 de junho.

Segundo informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), praticamente 1 a cada 4 brasileiros tem algum tipo de deficiência. Isso faz com que sejam 46 milhões de pessoas, e muitas delas estão em idade economicamente ativa. Para o ano de 2030, a Organização Mundial de Saúde calcula que a população com algum tipo de deficiência alcance o número de 2 bilhões de habitantes ao redor do mundo.

Compartilhe esta notícia: